O médico, psiquiatra, padre missionário Comboniano, Ottorino Bonvini, mais conhecido como padre Rino, nasceu, na cidade de Senago, em Milão, Itália, de onde saiu para se dedicar ao serviço voltado a pessoas em vulnerabilidade social e/ou com distúrbios mentais. Dedica-se ao cuidado da saúde das pessoas com enfoque no equilíbrio biopsicossocioespiritual.

Trabalhou em Cayapas, no Equador; em Uganda, na África, em situações de guerra e epidemias, e nos Estados Unidos, apoiando sobreviventes de tortura e com migrantes mexicanos. Mudou-se para o Ceará em 1996, logo após sua ordenação sacerdotal na Itália.

Em Fortaleza, desde então trabalha como missionário. Ainda em 1996, iniciou as primeiras atividades do Movimento de Saúde Mental (MSM), no bairro Bom Jardim, onde instalou uma série serviços que vão desde a prevenção às dependências, às práticas integrativas complementares à saúde, ao serviço psiquiátrico, até a preparação de jovens para o vestibular, a formação profissional, a inclusão digital de pessoas, a inclusão socioeconômica, entre outras.

Em 2007, iniciou trabalho voluntário na aldeia indígena Pitaguary – situada em Maracanaú e Pacatuba, na região metropolitana de Fortaleza -, desenvolvendo o projeto Iande Meme Maranongara, que na língua Tupi significa “Somos todos Parentes”, para prevenção da dependência química, resgate da auto-estima e das raízes culturais dosindígenas.

Desde a origem do MSM, padre Rino vem desenvolvendo, junto aos seus colaboradores e aos usuários do MSM, a tecnologia socioterapêutica de múltiplo impacto de desenvolvimento humano e comunitário, já reconhecida como tecnologia social replicável e como inovação em saúde mental no Brasil e no exterior, denominada Abordagem Sistêmica Comunitária.

+ informações sobre padre Rino, clique aqui.