O “Sim à Vida” é um projeto desenvolvido desde 1998 conceituado, inicialmente, como projeto de extensão da Universidade Federal do Ceará, e depois ampliado com financiamento pela CBM International e União Europeia de 2015 a 2019. Integra os demais projetos do Movimento Bom Jardim.

O principal objetivo do projeto é prevenir crianças e adolescentes contra o uso de drogas em três áreas de risco social em Fortaleza: Bom Jardim, Marrocos e Siqueira, e já atendeu crianças e adolescentes de Maracanaú e Pacatuba.

O Projeto Sim à Vida acolhe crianças e adolescentes de famílias vulnerabilizadas pela extrema pobreza, realiza atividades socioterapêuticas, artísticas, musicais, teatrais, esportivas e inclusivas. O intuito é proporcionar a alegria de viver com otimismo e esperança no futuro.

Desenvolve uma consciência de cidadania corresponsável. Articula escolas e a rede de saúde e assistência social. As atividades fortalecem a autoestima e despertam o potencial criativo das crianças, ativando as múltiplas inteligências.

A ação também visa integrar a rede de proteção de defesa dos direitos das crianças e adolescentes, além de realizar diálogos com gestores públicos e parlamentares visando à implementação da metodologia preventiva no âmbito de políticas públicas. O projeto acompanha os familiares das crianças acolhidas e favorece o equilíbrio biopsicossocioespiritual de cada participante. Também trabalha a profissionalização de pais e mães e estimula vínculos familiares e comunitários.

Este programa recebeu o Prêmio de Valorização da Vida (2007) – Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (SENAD); a Comenda Benfeitor da Criança e Adolescente (2001 e 2010) – Prefeitura Municipal de Fortaleza; e uma Menção Honrosa assinada pela Rainha da Suécia.

O programa Sim à Vida acolheu, de março de 2015 a fevereiro 2019, 450 crianças em localidades de Fortaleza, Maracanaú e Pacatuba, além de centenas de familiares.

Resultados

    • – Crianças, adolescentes e familiares fortalecidos em sua autoestima e desenvolvimento de autogestão familiar e comunitária;
    • – Profissionais e lideranças comunitárias capacitados para a multiplicação da Abordagem Sistêmica Comunitária e prevenção à dependência química;
    • – Rede de proteção de defesa dos direitos de crianças e adolescentes ampliada/fortalecida;
    • – Movimento Bom Jardim fortalecido institucionalmente.

 

Público-alvo

    • – 450 crianças e adolescentes e suas famílias;
    • – Profissionalização: 90 pessoas em modelagem e costura;
    • – Encaminhamento de dependentes químicos para unidades terapêuticas;
    • – Formação de 40 multiplicadores da ação de preventiva;
    • – Envolvimento de 450 educadores e 1200 alunos em ações de prevenção a dependências;
    • – Envolvimento de 4600 profissionais e lideranças das áreas da Saúde, Assistência Social, Arte, Cultura, Esporte; Direitos Humanos e Crianças e Adolescentes.