O programa “Sim à Vida” é desenvolvido pelo Movimento Saúde Mental desde 1998, a partir de então vinculado ao Departamento de Medicina da Universidade Federal do Ceará como projeto de extensão. Teve suas ações ampliadas por meio de financiamento da CBM Internacional e da União Europeia de 2015 a 2019. Integra os demais programas do Movimento Saúde Mental.

O principal objetivo do Sim à Vida é elevar a autoestima e estimular o desenvolvimento das inteligências múltiplas das crianças e adolescentes acolhidos, fortalecendo-os para que evitem quaisquer dependências, especialmente buscando preveni-las contra o uso de substâncias entorpecentes.

O acolhimento se dá no contra turno escolar em três áreas de vulnerabilidade social em Fortaleza: Bom Jardim, Marrocos e Siqueira. Nos anos de 2015 a 2019 acolheu também crianças e adolescentes de Maracanaú e Pacatuba. São crianças e adolescentes de famílias vulnerabilizadas pela extrema pobreza.

As práticas cotidianas são voltadas para desenvolver o autoconhecimento e as potencialidades por meio de relaxamento, rodas de conversa, atividades lúdico-esportivas, arte, música e espetáculo. Junto ao acolhimento é realizado o cuidado socioterapêutico das crianças e de seus familiares.

Este programa e demais ações são contempladas pela tecnologia socioterapêutica denominada Abordagem Sistêmica Comunitária que trabalha o equilíbrio biopsicossocioespiritual de cada pessoa, desenvolvida pelo Movimento Saúde Mental. Nela, os participantes tem consciência de si e do mundo ao seu redor.  São estimulados a trabalhar a cidadania e a corresponsabilidade.

Ações de conscientização e conhecimentos de direitos civis, especialmente da criança e do adolescente, bem como profissionalização e de inclusão socioeconômica de familiares também contemplam este projeto.

O Sim à Vida articula escolas e a rede de saúde e assistência social do entorno das comunidades atendidas.

A ação também visa integrar a rede de proteção de defesa dos direitos das crianças e adolescentes, além de realizar diálogos com gestores públicos e parlamentares visando à implementação da metodologia preventiva no âmbito de políticas públicas.

Este programa recebeu o Prêmio de Valorização da Vida (2007) – Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (SENAD); a Comenda Benfeitor da Criança e Adolescente (2001 e 2010) – Prefeitura Municipal de Fortaleza; e uma Menção Honrosa assinada pela Rainha da Suécia.

O programa Sim à Vida acolheu, de março de 2015 a fevereiro 2019, 450 crianças em localidades de Fortaleza, Maracanaú e Pacatuba, estando integrado às ações socioterapêuticas e profissionalizantes do Movimento Saúde Mental que alcança milhares de pessoas na região sudoeste de Fortaleza, Ceará.

Resultados

Crianças, adolescentes e familiares fortalecidos em sua autoestima e desenvolvimento de autogestão familiar e comunitária;
Profissionais e lideranças comunitárias capacitados para a multiplicação da Abordagem Sistêmica Comunitária e prevenção à dependência química;
Rede de proteção de defesa dos direitos de crianças e adolescentes ampliada/fortalecida;
Movimento Saúde Mental fortalecido institucionalmente.

Público-alvo

450 crianças e adolescentes e suas famílias;
Profissionalização: 90 pessoas em modelagem e costura;
Encaminhamento de dependentes químicos para unidades terapêuticas;
Formação de 40 multiplicadores da ação de preventiva;
Envolvimento de 450 educadores e 1200 alunos em ações de prevenção a dependências;
Envolvimento de 4600 profissionais e lideranças das áreas da Saúde, Assistência Social, Arte, Cultura, Esporte; Direitos Humanos e Crianças e Adolescentes.

De dezembro de 2021 a julho de 2022, o programa Sim à Vida é realizado com fomento do Governo do Estado do Ceará, por meio da Casa Civil. Recebe também doações de alimentos do Programa Mais Nutrição, com acolhimento de 120 crianças e adolescentes de 7 a 14 anos, nas comunidades Marrocos e Santo Amaro, Bom Jardim, Fortaleza.

Mais informações, falar com Elizeu Sousa, +55 85 9 9989 9012 whats app [jornalista, advocacy do Sim à Vida]