O Movimento Bom Jardim foi pioneiro ao iniciar em 1996 os primeiros grupos de autoestima cuidando de mulheres das comunidades vulneráveis do Bom Jardim, Fortaleza.

Esse serviço é realizado por meio de várias técnicas, vivências e Práticas Integrativas de Cuidado (PICs). Cada participante busca o autoconhecimento, fortalece sua autoestima e desperta seu potencial criativo, para desenvolver suas múltiplas inteligências.

Na Abordagem Sistêmica Comunitária, a pessoa aprende a cuidar de si, assume seu lugar na família, ativa sua participação na comunidade, estabelece uma relação de amizade com a natureza e contribui para a transformação da realidade.

O MSMC obteve Menção Honrosa no Prêmio de Inclusão Social em Saúde Mental, concedida pela Associação Brasileira de Psiquiatria e Laboratório Lilly do Brasil pelo projeto “Grupo Resgate do Ser”, 2006.